20 de Novembro – Dia da Consciência Negra

Maçonaria e a Revolução Farroupilha
15 de novembro de 2019
O que é maçonaria e o que fazem os maçons?
21 de novembro de 2019

20 de Novembro – Dia da Consciência Negra

Dia da Consciência Negra e a influência da Maçonaria

A influência maçônica no que fere à literatura da época que antecede a abolição da escravidão, destaque a Rui Barbosa, Castro Alves, Joaquim Nabuco, José do Patrocínio e Luiz Gama, escritores e maçons que, à sua maneira, difundiram o pensamento libertário através de livros e de outras atitudes que acabaram por instigar a participação dos escravos. Muitas instituições, principalmente a maçonaria, foram responsáveis por presentear os negros escravizados com sua carta de alforria.

No caso específico da maçonaria, existem diversas fontes primárias que provam a arrecadação entre os membros para a compra de liberdade de escravos. Várias sessões solenes foram abertas com leituras de cartas de alforria patrocinadas pela coleta de dinheiro entre os membros maçons.

Apesar das ameaças de morte, o guerreiro Zumbi não aceitou a tirania, mas sim lutou contra ela. “A A∴R∴L∴S∴ Estrela de Davi N° 54, luta pela igualdade e liberdade

História e Cultura Afro

Zumbi dos Palmares nasceu no estado de Alagoas no ano de 1655. Foi um dos principais representantes da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial.

Foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos das fazendas. O Quilombo dos Palmares estava localizado na região da Serra da Barriga, que, atualmente, faz parte do município de União dos Palmares (Alagoas). Na época em que Zumbi era líder, o Quilombo dos Palmares alcançou uma população de aproximadamente trinta mil habitantes. Nos quilombos, os negros viviam livres, de acordo com sua cultura, produzindo tudo o que precisavam para viver.

Embora tenha nascido livre, foi capturado quando tinha por volta de sete anos de idade. Entregue a um padre católico, recebeu o batismo e ganhou o nome de Francisco. Aprendeu a língua portuguesa e a religião católica, chegando a ajudar o padre na celebração da missa. Porém, aos 15 anos de idade, voltou para viver no quilombo.

No ano de 1675, o quilombo é atacado por soldados portugueses. Zumbi ajuda na defesa e destaca-se como um grande guerreiro. Após uma batalha sangrenta, os soldados portugueses são obrigados a retirar-se para a cidade de Recife. Três anos após, o governador da província de Pernambuco aproxima-se do líder Ganga Zumba para tentar um acordo, Zumbi coloca-se contra o acordo, pois não admitia a liberdade dos quilombolas, enquanto os negros das fazendas continuariam aprisionados.

Em 1680, com 25 anos de idade, Zumbi torna-se líder do quilombo dos Palmares, comandando a resistência contra as topas do governo. Durante seu “governo” a comunidade cresce e se fortalece, obtendo várias vitórias contra os soldados portugueses. O líder Zumbi mostra grande habilidade no planejamento e organização do quilombo, além de coragem e conhecimentos militares.

O bandeirante Domingos Jorge Velho organiza, no ano de 1694, um grande ataque ao Quilombo dos Palmares. Após uma intensa batalha, Macaco, a sede do quilombo, é totalmente destruída. Ferido, Zumbi consegue fugir, porém é traído por um antigo companheiro e entregue as tropas do bandeirante. Aos 40 anos de idade, foi degolado em 20 de novembro de 1695. 

Zumbi é considerado um dos grandes líderes de nossa história. Símbolo da resistência e luta contra a escravidão, lutou pela liberdade de culto, religião e prática da cultura africana no Brasil Colonial. O dia de sua morte, 20 de novembro, é lembrado e comemorado em todo o território nacional como o Dia da Consciência Negra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *